Raio-X do 1º turno gremista: troca de passes, assistências e ataque goleador

Chegou a se falar em “futebol mais bonito do Brasil”. A campanha gremista já entrou para a história do clube como a segunda melhor desde que o Brasileirão passou a ser disputado por pontos corridos. Com 68% de aproveitamento, a equipe de Renato Portaluppi só ficou atrás do Grêmio de Celso Roth, que em 2008 alcançou 71,9%. Mesmo assim, o Corinthians pragmático de Fábio Carille foi ainda melhor (82,5%) – o que não tira os méritos tricolores. A seguir, destacamos três pontos que explicam a boa campanha gremista.

– Eficiência ofensiva

Embora não tenha sido o time que mais finalizou, o Grêmio é quem tem o melhor aproveitamento ofensivo. Das 224 finalizações, exatamente a metade chegaram à meta rival. Além disso, o time tem o melhor ataque da competição, com 35 gols. É uma média de 1 gol a cada 6,4 chutes. No elenco, Luan é o jogador que mais finalizou (45 vezes, sendo 20 em gol); mas quem simboliza a eficiência ofensiva da equipe é Fernandinho, que de 17 finalizações em gol, converteu 6 – transformando-se no artilheiro da equipe no Brasileiro.

– Tiki-taka?

O Grêmio é o segundo time que mais trocou passes no primeiro turno, ficando atrás apenas do Corinthians. O trio de volantes Arthur, Ramiro e Michel lidera este quesito. Mas o que chama a atenção é o índice de acerto de passes de Arthur (é o 3º do campeonato, com 921 – atrás de Arana, do Corinthians, e Jucilei, do São Paulo). Fica claro que o modelo de jogo gremista é de construção com a bola de pé em pé quando analisa-se outros quesitos: o Grêmio é o time que menos cruzou (307 vezes, uma média de 16 por rodada); é o time que menos acertou lançamentos (195).

– Maestro pifador

Sem Douglas que passou por cirurgia no joelho e não disputou nenhuma partida, o Grêmio perdeu o seu camisa 10? Mais ou menos. Mesmo vestindo o número 7, Luan foi o líder de assistências para gol no Brasileirão (6, empatado com Bruno Henrique, do Santos). Além disso, também aparece como o 4º que mais deu assistências para finalizações (33) em todo campeonato – atrás de Scarpa do Fluminense (47), Marcinho do São Paulo (35) e Cazares do Atlético-MG (34). Justo ele que atuou como “falso 9” no ano passado, agora rendeu como ‘pifador’ para consagrar os demais atacantes: Fernandinho, Everton, Pedro Rocha e Barrios.

 

FOTOS: Lucas Uebel (Grêmio)

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *