Os últimos brasileiros campeões da Libertadores mudaram muito de fotografia no ano seguinte?

Na época em que o Grêmio venceu sua última Libertadores, em 1995, era comum que os times mantivessem seus elencos por mais de uma temporada. Do plantel que empatou com o Atlético Nacional em Medellín, ao que estreou contra o Botafogo no Rio de Janeiro no ano seguinte, apenas uma perda: o meia Arílson vendido ao Kaiserslautern-ALE. Em contrapartida, foram contratados os atacantes Zé Alcino (Inter) e Rodrigo Mendes (Flamengo), o meia Aílton (Fluminense) e o zagueiro Mauro Galvão (Lugano-SUI) – além do volante João Antônio, que retornava de um período de empréstimo do Paraná. Os tempos agora são muito mais de saídas do que chegadas. Até agora, por exemplo, os gremistas já se despediram de Barrios, Fernandinho e Edílson; enquanto só foi anunciada a aposta Thaciano (Boa Esporte); além das chegadas do atacante Alisson (Cruzeiro) e o zagueiro Paulo Miranda (RB Salzburg-AUS). Para ter uma base, lembraremos aqui como reagiram à janela de transferências os últimos brasileiros que conquistaram a América.

2013-14: Atlético-MG

SAÍRAM 6: o volante/zagueiro Gilberto Silva (aposentado), lateral-esquerdo Júnior César (Botafogo), volante/lateral Richarlyson (Vitória), atacante Bernard (Shakhtar Donetsk-UCR), centroavante Alcesandro (Flamengo) e o técnico Cuca (Shandong Lunneng-CHN).

CHEGARAM 9: os zagueiros Otamendi (Porto-POR), Edcarlos (Seongnam-COR) e Emerson Silva (Coritiba), os laterais Douglas Santos (Udinese-ITA), Pedro Botelho (Atlético-PR) e Émerson Conceição (Rennes-FRA), o volante Rafael Carioca (Spartak Moscou-RUS), os atacantes Fernandinho (Al Jazira-EAU)* e André (voltou do Vasco)

2012-13: Corinthians

SAÍRAM 7: os zagueiros Wallace Reis (Flamengo), Marquinhos e Leandro Castán (Roma-ITA), o lateral-esquerdo Ramon (Flamengo), o meia Alex (Al Gharafa-QAT), os atacantes Liedson (Flamengo) e Martínez (Boca Jrs-ARG)

CHEGARAM 6: os zagueiros Gil (Valenciennes-FRA) e Cleber (Ponte Preta), meias Renato Augusto (Bayer Leverkusen-ALE) e Guilherme (Portuguesa), e os atacantes Alexandre Pato (Milan-ITA) e Guerrero (Hamburgo-ALE)*

2011-12: Santos

SAÍRAM 8: o lateral-direito Danilo e o lateral-esquerdo Alex Sandro (Porto-POR), o zagueiro Bruno Aguiar (Sport), os meia Alan Patrick (Shakhtar Donetsk-UCR) e os atacantes Diogo (Olympiakos-GRE), Keirrison (Cruzeiro), Maikon Leite (Palmeiras) e Zé Eduardo (Udinese-ITA).

CHEGARAM 11: os laterais Fucile (Porto-POR), Galhardo (Flamengo), o lateral-esquerdo Juan (São Paulo), o zagueiro David Braz (Flamengo), o volante Henrique (Cruzeiro), os meias Ibson (Spartak Moscou-RUS) e Bernardo (Vasco), os atacantes Rentería (Caxias), Patito Rodríguez (Independiente-ARG), Borges (Grêmio) e Alan Kardec (Benfica-POR)

2010-11: Inter

SAÍRAM 6: o goleiro Abbondanzieri (aposentado), o zagueiro Fabiano Eller (Al Ahli-QAT), o volante Sandro (Tottenham-ING), o meia Giuliano (Dnipro-RUS) e os atacantes Éverton Costa (Caxias) e Taison (Metalist-RUS).

CHEGARAM 8: os laterais Leonardo (Olympiacos-GRE) e Fabrício (Portuguesa), o zagueiro Rodrigo (Dínamo Kiev), o volante Bolatti (Fiorentina-ITA), os atacantes Ilan (West Ham-ING)*, Gilberto (Santa Cruz), Zé Roberto (Vasco) e Cavenaghi (Bordeaux-FRA).
(*) jogadores que já haviam sido contratados para o Mundial de Clubes, no final do ano anterior, mas que não estavam no grupo campeão da Libertadores

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *