Com Barrios, o que pode mudar no time do Grêmio?

Foto: Agência Palmeiras

Foto: Agência Palmeiras

Finalmente, o “fazedor de gols” prometido ao final do ano passado desembarcará em Porto Alegre. Lucas Barrios chega com as credenciais desejadas pela direção gremista. Embora tenha sido atrapalhado por lesões no Palmeiras, é o centroavante típico de área – no máximo, formando dupla de ataque com outro companheiro. Desta forma, evidentemente, mudará a maneira de jogar do Grêmio. Aliás, já percebe-se uma pequena alteração na característica de jogo tricolor, buscando muito mais as jogadas laterais e alçando bolas na área, ao invés de triangulações por dentro e infiltrações como se notabilizou nos últimos 19 meses.  Mas além das características, outras situações poderão ser modificadas, como posicionamento de algum titular ou alteração tática.

gremio 1– O atual 4-2-3-1

Mantendo o atual sistema tático que levou o Grêmio ao título da Copa do Brasil, alguém deverá ser deslocado para outra função (muito possivelmente Luan). Isso porque era ele quem ocupava a função de “falso 9”. Sendo assim, pode ocupar a extrema-esquerda (no lugar de Pedro Rocha), ou a extrema-direita (na de Ramiro). Isso não quer dizer, no entanto, que Ramiro deixará a equipe. O volante, que cresceu de produção desde a chegada de Renato, pode ser recuado para sua posição de origem, atuando ao lado de Maicon. Neste caso, Jaílson voltaria ao banco de reservas. Bolaños, por sua vez, seguiria ocupando o espaço que pediu: atrás do centroavante, carregando a bola de frente para a área.

gremio 2– 4-1-4-1 ou Árvore de Natal

Outra alternativa é formar um tripé de volantes para dar maior liberdade aos atacantes. Contudo, seria preciso que Bolaños e Luan voltassem para fechar os lados do campo na linha de quatro do meio-campo. Como nenhum dos dois tem essa característica, a armação poderia passar para o 4-3-2-1, ou a “Árvore de Natal” que Carlo Ancelotti lançou no Milan, e que o próprio Renato já utilizou no Grêmio em 2013, quando do vice-campeonato brasileiro. Sob esta ótica, os extremas perderiam espaço na equipe (Pedro Rocha, Everton e Fernandinho), tornando-se alternativas para segundo tempo.

gremio 3– 4-4-2 em losango

Na sua primeira passagem pelo Grêmio, em 2010, Renato armou um losango no meio-campo. Convenhamos que é algo improvável de acontecer agora, já que o técnico não contará com um camisa 10 para posicionar atrás da dupla de ataque. A não ser que opte por Luan ou Bolaños desempenhando tal função. Com o equatoriano, o Tricolor poderia ganhar no carregamento de bola, com Luan um passe mais qualificado em busca dos atacantes. Mesmo assim, nada semelhante ao que Douglas foi há sete anos.

1 Comentário

  1. Matheus 23 de fevereiro de 2017 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *